A Doença Que Aflige Os Coalas Da Austrália

11 Feb 2018 16:24
Tags

Back to list of posts

is?cubkg2nmX1VxAgi64Cd8Nd7-6vaqAqWeAu0LR8kzmy4&height=160 Coalas estão entre os animais favoritos de qualquer turista que visite a Austrália. Mas muitos visitantes não sabem que dezenas de milhares dos marsupiais comedores de folhas de eucalipto sofrem de uma situação bastante dolorida e frequentemente letal. Ela é causada por uma bactéria com uma reputação notória: os coalas australianos estão morrendo de clamídia.David Wilson, infectologista do Instituto Burnet, em Melbourne. O tipo de clamídia que ataca os coalas é diferente da que influencia os humanos, embora humanos podem contrair a alteração animal por intermédio da urina. Nos coalas, os efeitos da clamídia são devastadores e incluem cegueira, infertilidade e uma infecção conhecida como "cauda suja".Wilson. "O canal urinário fica inflamado e incha. É incrivelmente penoso. Os coalas ficam com corrimentos e muitos morrem". A epidemia obviamente não está ajudando os esforços de conservação de uma espécie agora pressionada por conta da perda de habitat. Em apenas 20 anos, populações de coalas no Estado australiano de Queensland caíram quarenta por cento e por volta de 33 por cento em New South Wales.Não é a primeira vez que os coalas passam por apuros. No começo do século vinte, a espécie quase desapareceu do mapa em consequência a da caça predatória - estima-se que oito milhões de espécimes tenham sido exterminados como divisão do comércio de peles. A clamídia influencia machos, fêmeas e até filhotes, que contraem a doença durante o tempo que vivem nas bolsas das mães.Nos dias de hoje, ameaças aos coalas adicionam ataques de cachorros, atropelamentos e o desmatamento. Mas cientistas dizem que doenças são a viável principal razão pro declínio populacional. E elas não se resumem à clamídia. Diversos coalas, tais como, estão sendo infectados com um vírus semelhante ao HIV. O vírus podes ser especialmente problemático em pássaros, que são capazes de entregar doenças pra humanos a partir de suas fezes.Wilson, para quem partículas de fezes de pássaros no ar são capazes de danificar os pulmões humanos. Não há muito o que se possa fazer pelos coalas. A própria clamídia pode ser tratada com antibióticos, contudo esses têm seríssimos efeitos secundários nos marsupiais. Peter Timms, da Instituição de Sunshine Coast, assim como na Austrália.Isto sem discutir que os medicamentos não têm muita serventia em estágios avançados da doença. Wilson. "A dificuldade é que, logisticamente, não podemos fazer uma amplo captura pra transportar os coalas a um hospital". Em vez disso, o cientista propõe uma estratégia para lá de controversa. O pretexto é que os marsupiais estão transmitindo a doença e vários não conseguem mais ser curados, sofrendo com dores.Wilson, para que pessoas uma matança estratégica poderia fazer com que a população de marsupiais volte a desenvolver-se entre cinco e dez anos. Não é uma ideia sem precedentes. A Austrália tem planos pata exterminar 2 milhões de gatos ferais nos próximos 5 anos pra salvar animais nativos. No início da década passada, houve uma matança-teste de diabos da Tasmânia quando uma epidemia de cânceres faciais afetou seriamente a população. A iniciativa não foi bem-sucedida, entretanto para Wilson a responsabilidade foi do programa governamental. Mas cientistas assim como estão trabalhando em outras soluções mais "palatáveis" para a dificuldade dos coalas. Uma das esperanças de combater a clamídia poderá estar no genoma do coala. Pesquisadores já identificaram doze 1 mil genes de coala, e cientistas creem que os animais contam com cerca de vinte 1 mil no total.Um gene em típico, o IFN-g , imediatamente foi referido como uma espécie de Santo Graal pra o conhecimento do funcionamento do sistema imunológico dos coalas. E isso faz dele uma interessante arma no duelo a doenças. Timms diz estar perto de uma descoberta interessante. O término do mapeamento, de acordo com o cientista, revelará uma série de coisas sobre isto os coalas, incluindo como eles podem farejar a diferença entre quatrocentos tipos de folhas de eucalipto. Ele espera que isto ajude a explicar por que alguns animais infectados com clamídia desenvolvem sintomas severos e outros, não. Isso talvez pode acelerar o desenvolvimento de uma vacina - de imediato há 8 programas em andamento, e dois estão em fase de testes. Os resultados sugerem que as vacinas são eficazes para precaver infecções e até já bloquear mutações da clamídia. E que a vacina poderá ser aplicada em dose única. Mas só deverá estar pronta em 3 anos. Timms diz que é necessário vacinar os animais mesmo deste jeito.Queixo forte e bem criado Estar sempre estressado Em ocorrências de maus-tratos a animais 206 Está bem 206 "O poder surpreendente de Goten." Tal Pai, Tal Filho 10 de Novembro de 1993 Pastor belga late muito quatrorze de Outubro de 2013 (Brasil)Introdução com comentários de Gilberto Petruche e participação de Italo Morelli Júnior. Depois do filme, debate com o psicólogo Wagner Marinho, da clínica Expectro Psicologia. A Charada fica pela estrada José Antonio Fontes, 62, em Sapopemba. Teko Porã … Primeiro ‘Casa Barco Sessions’ do ano traz as bandas Teko Porã (da residência) e Abacaxepa (convidada). Entre os shows, palestra a respeito de os cristais e seus sons, com a maga Vera Luz. Com lanches veganos e drinks espanhóis. Pela estrada Daniel Cardoso, 48 (porta vermelha).Perto do metrô Vila Madalena. SÁBADO - 27 de janeiro - 19h … Edvaldo Santana em Monte Verde/MG … O cantor, compositor e guitarrista Edvaldo Santana retrata as canções do seu cd "Só Irei Voltar Mais Tarde" e alguns clássicos da carreira. No Café Bistrô, à av. Monte Verde, mil, em Minas Gerais.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License