Ele Nunca Foi Comum

18 Feb 2018 22:22
Tags

Back to list of posts

RIO - Ele nunca foi comum, é verdade, mas a crescente ocupação humana em seu habitat, do sul da América Central até o sul da América do Sul, deixou o cachorro-do-mato-vinagre, ou só cachorro-vinagre (Speothos venaticus), intimidado. is?emkhmoAo7vZZ0TeTaXdUm31hr5Zs8DkQaa8BUxEGB_w&height=204 A espécie neste momento é rara naturalmente — conta o biólogo Edson Lima, coordenador dos trabalhos de campo do projeto no Mato Grosso. Em vista disso, poucos estudos foram feitos a respeito de ela. Amplo fração dos fatos que tínhamos foram coletados pela análise desses animais em cativeiro. Considerado o mais social dos canídeos brasileiros, o cachorro-vinagre vive em matilhas de cerca de dez indivíduos, que atuam cooperativamente pra sobrevivência mútua.De acordo com o biólogo, os animais costumam acordar muito cedo, cerca de 5h, e acompanhar o cheiro deixado pelo tatu no retorno à sua toca de madrugada. Começa desse modo um serviço árduo, com três a 4 indivíduos se revezando dentro da toca do tatu para arrastá-lo pra fora. Chegamos a registrar 5 horas de vigor seguido pra que o tatu fosse pego, porém duvidosamente a presa escapa — relata Lima. Neste instante, surge mais uma das características do potente comportamento social destes animais.Mesmo diante de pouca carne para tantos cachorros, o que poderia gerar uma grande desorganização, não há conflitos e todos se alimentam ao mesmo tempo. Entre as descobertas que chamaram a atenção está o caso de as matilhas de cachorros-vinagre precisarem de áreas muito grandes pra sobreviverem. O tatu-galinha também é uma espécie bastante seletiva em relação ao seu habitat — explica. Se por um lado isto facilita o trabalho dos cachorros, por outro traz uma pressão ecológica muito forte sobre isso as populações de presas.Achamos que utilizar uma área muito enorme é uma estratégia das matilhas de não pressionar muito essas populações e mantê-las estáveis. Os cachorros-vinagre são muito nômades e ficam só em torno de dois meses em cada sítio de caça pra não dizimar sua presa principal. De imediato a devastação pelo homem do habitat das duas espécies potência as matilhas a viajarem cada vez mais pra acharem tuas presas. Você mantém a caixinha de areia do seu gato a toda a hora limpa 04 "Improviso" dezoito de novembro de 2013 onze de Junho de 1999 Adolescentes de porte médio e pelo escuro dez "Bichinhos" 07 de agosto de 2010 dois - Cavalos são encontrados abandonados e com ferimentosNa localidade de Nova Xavantina, leste do Mato Grosso, onde o estudo foi conduzido, a maior parte da vegetação natural de Cerrado foi removida pro cultivo de lavouras e pastagens, sobrando menos de trinta por cento de área conservada. Por isso, quase a plenitude das localizações dos animais (95%) foi obtida em regiões conservadas, no momento em que eles estavam em repouso, caçando ou comendo, sempre que na maioria das localizações em área cultivada eles se moviam de forma acelerada.Em virtude da fragmentação de teu habitat, as matilhas têm que andar muito para variarem seus sítios de caça e encontrarem as presas — conta Lima. Se a pressão do desmatamento prosseguir, a tendência é a espécie sumir da região e entrar em extinção, como agora aconteceu em muitas algumas áreas de circunstância no resto do nação.O desmatamento, mas, não é a única ameaça à sobrevivência dos cachorros-vinagre. De acordo com Lima, a carne de tatu-galinha bem como é muito apreciada por alguns moradores da região. Eles sabem que a caça é proibida, mas observamos que ainda vai conduzir bastante tempo pra essa finalidade parar — lamenta. O defeito é que os cachorros-vinagre mantêm uma relação de equilíbrio instável com as populações de tatus-galinha e a ação humana pode levar mais rápido a um colapso total desse sistema.Também, junto com o homem vieram animais domésticos, em especial cães, que atacam os cachorros-vinagre ou em vista disso transmitem para as matilhas várias doenças que as dizimam totalmente, entre elas sarna e raiva. Em todos os grupos com os quais trabalhamos, cerca de 50 por cento das perdas foram devido à predação por cachorros domésticos — diz o biólogo.E as doenças são outro amplo defeito. is?OdSOton7R3pABTESu00TGASAPfjikLKmKnUtuHWT5no&height=241 Já sabemos que o cachorro-vinagre é bastante sensível à sarna sarcóptica. Por ventura tinham pavor que eles atacassem as criações de galinhas. Todavia o cachorro-vinagre é um animal muito arisco e arredio, que foge mais rápido diante de cada perturbação. Duvido muito que um deles chegaria perto o bastante pra atacar um galinheiro.No estudo, iniciado em 2004, os pesquisadores conseguiram visualizar 3 matilhas que tiveram destinos variados, conta Lima. O primeiro grupo, com um casal e um filhote, logo foi acrescido por mais 4 crias. Monitorados durante treze meses, todos acabaram morrendo, vítimas de predação ou doenças. Eles prontamente estavam completamente infestados por sarna e foram tratados. O macho alfa, contudo, não resistiu e morreu.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License